pe-ricardo1"Quem não se decide a amar para sempre, é difícil que possa amar deveras um só dia"
(São João Paulo II)

É com a frase acima, de São João Paulo II, que concluı́mos a série de textos sobre o documento Amoris laetitia, que versa sobre o Matrimônio e Famıĺ ia e que tem como autor o Papa Francisco.

Nas últimas décadas os conceitos de Matrimônio e de Famı́lia mudaram, mas segundo uma concepção secular. Para a Igreja esses conceitos nunca mudaram e ela não deve seguir as regras do mundo, mas iluminá-lo. Essa mudança tem ocorrido de tal forma que o mundo já não suporta o Matrimônio segundo o Direito Natural e defendido pela Igreja de Cristo. O atual Papa já alertou que existe uma guerra (sem armas) global para destruir o casamento.

Um elemento fundamental do casamento cristão é o amor perene, que não termina ao sabor do vento. Mais do que um sentimento, esse amor é uma decisão forte, que atravessa firmemente as ondas modernas do "amor passageiro", do "amor fugaz", da falta de compromisso com o outro, de ditadura do ser feliz a todo custo.

O Papa Francisco, em Amoris laetitia, recomenda aos casais: "Cada manhã, quando se levanta, o cônjuge renova diante de Deus esta decisão de fidelidade, aconteça o que acontecer ao longo do dia. E cada um, quando vai dormir, espera levantar-se para continuar esta aventura, confiando na ajuda do Senhor!. (n.319).

Que os casais cristãos, renovem sua decisão de amar e vivam, com a ajuda de Deus, a fidelidade conjugal.

Padre Ricardo de Barros Marques - vigário paroquial