pe-ricardo1O amor no matrimônio 

- O Santo Padre, o Papa Francisco, na sua Exortação Apostólica sobre o Matrimônio e a Famı́lia apresenta algumas pistas para ajudarem os casais na consolidação do amor conjugal. Escolhemos algumas dessas dicas para partilhá-las com nossos paroquianos:

Paciência: o casal é chamado a não agir pelos impulsos interiores para que um não agrida o outro. Assim como Deus é paciente conosco e lento para ira, Ele chama o casal a viver a paciência. Isso não significa permitir que haja maltrato no casamento e nem tolerar agressões físicas ou que um chegue a tratar o outro como objeto. Ter paciência é saber que não existem relações, mesmo conjugais, perfeitas. Como diz o Papa, «não importa se é (o outro) um estorvo para mim, se altera os meus planos, se me incomoda com o seu modo de ser ou com as suas idéias, se não é em tudo como eu esperava. O amor possui sempre um sentido de profunda compaixão» (n. 92).

Amabilidade: esposo e esposa são chamados a amar um ao outro e tornarem-se amáveis. Quem ama detesta fazer o outro sofrer e quem quer ser amado pode se tornar amável. Para alcançar essa virtude é preciso que os cônjuges olhem-se sem se deterem nos limites um do outro, digam palavras de incentivos, que confortem-se mutuamente, consolem-se, fortaleçam-se e estimulem-se.

Desprendimento: é a virtude de querer evitar ser a prioridade no amor, de colocar o amor a si mesmo em primeiro lugar. É justo que alguém queira ser amado por
primeiro, mas o amor supera toda justiça.

Fazer as pazes: recomenda o Papa que os cônjuges nunca terminem o dia sem pedir perdão um ao outro. Para pedir perdão basta que haja pequenos gestos de entendimento, de acolhida e de carinho. «A reação interior perante um mal que nos causam os outros, deveria ser, antes de tudo, abençoar no coração, desejar o bem do outro, pedir a Deus que o liberte e cure» (n.104).

Fiquemos com esses conselhos do Papa, embora no documento haja outros tantos conselhos para se viver a alegria do amor.

Padre Ricardo de Barros Marques - vigário paroquial